Archives agosto 2014

rematrix-headHoje eu vou falar sobre um novo plug-in chamado REmatrix, um reverb por convolução multi-camada. Com esse plug-in você pode carregar múltiplos arquivos IR, de fábrica ou de terceiros, e criar sons únicos.

REmatrix John-Paterno

Reverbs de Resposta de Impulso [IR] são ótimos quando você precisa replicar um espaço sampleado; no entanto, o IR típico oferece apenas ajustes simplistas e não permite mudanças mais criativas para a natureza do ambiente gerado.
E se você precisar de uma maior nível de controle? E se você quiser mudar fundamentalmente um elemento subjacente originalmente capturado dentro da resposta de impulso?

REmatrix combina cinco convoluções que trabalham simultaneamente e em paralelo, sem qualquer problema de fase. Você pode construir seu próprio IR e somar 5 IRs separados, oferecendo um nível totalmente novo de personalização dentro do reverb. Cada um dos cinco IRS podem ser ajustado usando vários parâmetros, enquanto filtros adicionais oferecem controle ainda mais tonal. Além disso, REmatrix tem seis efeitos na sessão Master para refinar o som do reverb e atender às necessidades da sua mixagem final.

REmatrix-David-Kahne
REmatrix combina o melhor dos reverbs de convolução, juntamente com níveis sem precedentes de flexibilidade.

[video_player type=”youtube” youtube_remove_logo=”Y” youtube_show_title_bar=”Y” youtube_force_hd=”hd720″ width=”853″ height=”480″ align=”center” margin_top=”0″ margin_bottom=”20″]aHR0cHM6Ly93d3cueW91dHViZS5jb20vd2F0Y2g/dj1udUlJbk9RYlk0bw==[/video_player]

Você pode baixar a versão trial ou comprar  no site da Overloud: http://overloud.com/products/rematrix.php

Nesse tutorial vou explicar o que o áudio em 32 bits de ponto flutuante pode fazer no seu áudio.

Uma pergunta recorrente, eu também já tive essa dúvida, e é difícil alguém explicar isso na prática sem ficar enrolando você com um monte de coisas.

Jorge, qual o real beneficio de eu usar 32bit?

Imagina que você recebeu uma mix ou master pra fazer, e o seu cliente enviou a você as sessões/tracks em 32 bit float.

BINGO! Aquela mix do seu cliente toda cheia de “clips” e outros “pipocos digitais” podem ser perfeitamente contornáveis nas mãos de um profissional que entende isso.

Nesse vídeo abaixo vou mostrar na prática:

Por que usar áudio em 32bit? Exemplo Prático de Dynamic Range

 Abaixo segue algumas dicas para você tirar melhor proveito na hora de mixar uma bateria.

A mixagem de bateria é um dos aspectos mais desafiadores da produção musical. Com tantas variáveis, você não pode simplesmente passar batido por essa etapa.

Aqui estão algumas dicas que vão ajudar você a fazer a sua bateria sentar-se melhor em suas trilhas.

01. Insert Reverb:

Embora você possa usar um reverb único em um buse, não há nenhuma razão para não usar reverbs inseridos em seus canais separados. Um curto e escuro verb no bumbo e um mais claro na caixa, etc… Se você optar por fazer isso, no entanto, tenha cuidado para não fazê-lo soar como cada uma de suas peças esteja em um espaço totalmente diferente das outras reverberações, a menos que você esteja indo para estranheza deliberada.

02. Compressão paralela

Compressão Paralela ou “estilo NY”  é simplesmente o ato de mixar versões dos kits ou da bateria inteira comprimindo do mesmo sinal, a fim de reduzir o alcance dinâmico, mas manter todos esses transientes de ataque mais encorpados. Cada buss em um grupo da bateria é comprimido através de uma pista auxiliar com um plug-in compressor inserido e mixturado com o sintal original, alguns compressores já vem com esse recurso embutido, plug-in ou hardware,  com um controle de mistura dry/wet, de tando a possibilidade de dosar  a quantidade de sinal comprimido ao som original, fazendo uma compressão paralela. Veja como funciona na prática.

03. Sidechain nos overheads

Uma grande variedades de efeitos interessantes podem ser criados para colocar um compressor/gate no canal dos OverHeads usando um bumbo, caixa ou hihats como gatilho. Escolha a frequência da caixa que você deseja usar para enfatizar o sinal dos OverHeads para cada vez que a caixa bater, ou comprima os overheads baseado nas batidas do bumbo.

04. Processamento de OverHeads

A aplicação de um plugin widening estéreo para o canal dos OH pode fazer maravilhas para a sensação de amplitude. Duas coisas a evitar com os OH gerais, é aumentar excessivamente com EQ em frequências acima 10kHz e compressão (apesar de um toque de compressão pode ser eficaz para um som de estilo mais vintage). E se seus OverHeads gerais estiverem soando estranho, inesperadamente em qualquer sentido ao lado dos canais de microfone próximos, não se esqueça de tentar inverter a fase.

 05. Traga o ruído

Se as astes da caixa da sua bateria não está fazendo sentir sua presença com força suficiente, o ruído branco pode ser usado para adicionar uma camada de backup sintetizados. Coloque qualquer sintetizador analógico com apenas um oscilador ativo de ruído branco e ajuste-o bastante elevado.

Desenhe em uma única nota MIDI para a duração da sua faixa de bateria e insira um gate em sidechain para o canal de synth. Faça o sidechain para sua trilha da caixa, e defina o limite no gate  e parâmetros de envelope para que o synth só dispare quando os golpes bater na caixa, em seguida, desaparece rapidamente e sem problemas. Mantenha o nível do ruido branco baixo na mix e esteja ciente de que ele pode precisar de silenciamento durante as viradas.

O mesmo truque pode ser usado para adicionar brilho para hihats e até mesmo usando uma onda senoidal para sub-graves no bumbo. Esse vídeo ensina como fazer no REAPER: http://www.youtube.com/watch?v=U2BdfyWFEx4 (by Andygodel)

06. Apenas uma fase

Uma batida de alguma peça da bateria vai demorar um pouco mais para alcançar os microfones suspensos de OverHeads do que os próprios microfones de proximidade, o seu tempo será ligeiramente atrasado através dos canais. Os Overheads pode ajudar a criar alguns tons legais, bem como suavizar transientes agudos. No entanto, muito pode enfraquecer o kick, e tirar o poder e clareza. A mesma regra se aplica a caixa de bateria, geralmente colocamos um mic para captar a esteira, e esse som pode sair de fase com o microfone da pele de cima. Criando a necessidade de ajustar a fase desses mics

Você pode ser capaz de ajustar manualmente o tempo das gravações para melhorar seu som combinado. Em alguns casos, um aumento sutil  pode ser criado movendo a parte inferior do microfone da caixa, pode voltar de cerca de 4 ms, de modo que a forma da onda é mais perfeitamente alinhado com o do microfone superior da caixa.

fase

Lembre-se que você pode normalmente só alinhar uma peça da bateria (a caixa é sua melhor aposta), como os deslocamentos de tempo irá variar de acordo com cada peça do kit de estar a diferentes distâncias dos microfones. E não ficar muito obcecado com alinhando das suas faixas, eles podem soar melhor confuso!

Leia também:

Problema com Fase – Solução – Explicação

08. Buses

Você pode processar todos os canais do microfone separadamente, mas combinando peças dos kits relacionadas em um grupo no bus, pode ser conveniente e sonoramente benéfico. Por exemplo, agrupar todos os seus toms em um bus e inserir um compressor, um equalizador e um reverb em que, em vez de dar a cada tom separado seu próprio tratamento, pode fazê-los parecer mais coeso, bem como colocá-los todos em um nível acessível no fader e economizando em ciclos de CPU. Veja nosso tutorial sobre sends e buses.

09. Reposição de sampler

Embora a ideia da mistura de um kit de bateria é fazer parecer que a reunião de um conjunto de elementos tocados simultaneamente criando um instrumento único e coeso. Se o seu baterista deixou de bater um prato essencial acidentalmente no final de uma virada, não enlouqueça com isso, tente colar em um prato de outro lugar na pista ou apenas toque uma tecla de sua biblioteca de samples em trilha separada, mas soando dentro do contexto, (use o sampler no canal do grupo da bateria caso esteja usando algum tipo de processamento no bus geral dessa bateria, caso contrário soará fora de foco, e poderá soar fake).

Da mesma forma, se a sua caixa falta um pouco de ataque de início, mas no geral está OK, dobrar a caixa com um sampler pode ser uma boa ideia, faça comparações A/B, explore os ajustes de mixagem com algum material de referência bem escolhida e confie em seus ouvidos mais do que em seus olhos. Escolha um sampler semelhante a caixa original.

Outra dica para quando você for gravar bateria, sempre certifique-se de capturar o baterista batendo cada peça do kits salve na  pasta do seu projeto no seu disco rígido, grava várias intensidades, de médio e macio e pontos mais fortes. Então, se você precisar fazer um replace ‘overdubs’ (ou até mesmo substituir completamente todos os sons), você tem um conjunto de sons perfeitamente compatíveis com o qual trabalhar.

 WWW.sombinario.com.br

Sua Bateria MIDI pode Soar mais Natural!

Um dos maiores problemas que detecto em baterias gravadas em MIDI, seja ela usando uma bateria eletrônica, teclado, ou mesmo feito a mão em seu editor MIDI de seu DAW, é que as baterias sempre soam muito mecânicas, duras e robóticas.

Isso é apenas um pouco do que você pode fazer quando conhece os recursos fantásticos de sua DAW. Nesse tutorial eu to fazendo no Pro Tools, mas TODAS as boas DAW do mercado possuem recursos similares ou até melhores, mas resolvi fazer esse tutorial no pro tools por ser uma ferramenta que geralmente encontramos na maior parte dos estúdios.

É muito importante termos conhecimento das ferramentas dispostas em uma DAW, isso faz toda a diferença na realização do seu trabalho. Aqui no SomBinario oferecemos soluções fantásticas para você dominar uma DAW como o Pro Tools em pouquíssimo tempo, você terá os mesmos conhecimentos que grandes produtores possuem. Segue o link abaixo par o nosso curso completo de Pro Tools:

https://www.sombinario.com.br/curso-pro-tools/

Nesse tutorial vou ensinar como usar algumas ferramentas no Pro Tools para adicionar mais elementos humanos em seus grooves de bateria MIDI.

Essas dicas vão ajudar a você obter um som mais natural e musical.

Essa dica é muito boa para qualquer estilo musical, não só para baterias tipo acústica, mas também para beats de Rap na linha boombap e westcoast, o que mais ouvimos por ai são beats “quadradões” soando bem artificiais, assim como muitas baterias de Rock, Pop e Sertanejo. Então essa dica vai enriquecer e muito suas produções.

Nesse vídeo você vai aprender como contornar essa situação de forma simples utilizando o recurso de groove, que está presente na maioria das DAWs do mercado, e nesse vídeo vou mostrar isso no Pro Tools.

AVID Pro Tools - Humanizando Baterias MIDI - Groove Template

Hoje eu vou compartilhar algumas dicas sobre uma ferramenta que utilizo bastante no meu trabalho, que é o uso do Propellerhead Reason. Para quem não sabe, o Reason é uma DAW com sequenciamento MIDI muito poderoso, e além disso ele traz vários synths, sampler players de altíssima qualidade, efeitos  e uma biblioteca bem honesta que da pra criar muita coisa.

Eu praticamente uso o Reason como um padrão a muito tempo por me oferecer estabilidade e baixo consumo de CPU sem prejudicar a sonoridade, sem dúvidas uma ferramenta que não pode faltar no meu arsenal.

Nesse tutorial vou ensinar como controlar o Reason através do Pro Tools, utilizando os racks do Reason como instrumentos virtuais, e passar algumas dicas de uso no Reason para você obter melhores resultados em seus arranjos musicais.

Para ter experiências mais profundas com o Reason pesquise bibliotecas de samples para ele (ReFills) e não deixe de explorar os racks de Synths que são simplesmente perfeitos.

Trabalhando em Rewire com o Pro Tools e Reason