Archives julho 2017

Esse conteúdo vai ajuda-lo nos primeiros passos

Resolvi postar uns vídeos que achei perdidos aqui no meu HD de backup, e vi que tinha praticamente um curso básico completo do Sonar X3 que nunca havia postado antes. Então criei essa playlist para você poder assistir na íntegra.
Gostaria de pedir gentilmente que inscreva-se em meu canal e curtam os vídeos para dar aquela força, e assim eu ter a possiblidade de criar sempre conteúdo relevante pra você estudante de produção musical, áudio e afins.

Durante esses 10 vídeos você estará muito bem preparado para começar a produzir música no Cakewalk Sonar!

Então se você usa uma versão acima dessa, vai tirar de letra.

O que você vai aprender?

  1. Configuração
  2. Visão Geral e Tela de Arranjo
  3. Iniciando um Projeto
  4. MIDI
  5. Gravando em Loop
  6. Quantizando Áudio
  7. Convertendo Audio para MIDI
  8. Função Loop
  9. Bounce Clips
  10. Gravação Punch in-out
Playlist: Curso Cakewalk Básico

 

 

Salve família SomBinario! Nesse vídeo vou falar de algo que é muito importante na mixagem, que está relacionado a clareza  das trilhas para soarem com mais definição.

Sem dúvidas o mascaramento de frequências é o grande responsável por mixagens mal sucedidas, geralmente para resolver isso utilizamos algumas técnicas e principalmente as capacidades auditivas, experiência conta muito.

Nesse vídeo vou dar um empurrãozinho em quem ta começando, tenho certeza que vai adiantar alguns anos na sua caminhada e acelerando o seu aprendizado.

Para explicar esse tutorial vou usar a minha DAW favorita, o Studio One Professional, por ter um recurso que ajuda muito nessa tarefa, porém pode ser feita em qualquer outra DAW. Qualquer dúvida deixe abaixo sua pergunta.

Mixagem mais Clara e Definida com Ajuda do Analisador de Espectro

APRENDA SOBRE STUDIO ONE: CLIQUE AQUI

 

Fala, pessoal Som Binário. Leandro Carimbó de volta para dar continuidade a nossa lapidação.
No último texto (que você pode ler neste link), falamos sobre as duas primeiras etapas de uma produção, a pré e a produção em si. Agora, é hora de finalizarmos este projeto. Até agora, nosso diamante foi extraído e projetado para sua forma. Nesta última etapa, seremos o lapidário, responsável por lapidar e deixá-la mais linda possível para ser vendida.

A pós-produção é a parte musical onde iremos arrumar erros (não confundir em “arrumar erros” com fazer milagres de edição), ajustar a música dando o ar profissional e adequar sua música para o mercado. Te lembrou algo? Sim, exatamente! Estamos falando de edição, mixagem e masterização. Vamos separar a pós-produção nessas 3 etapas.

Edição: Como seu próprio nome já diz, é o momento em que iremos editar nossos instrumentos. No mercado atual, é praticamente impossível encontrar uma música que não foi editada. É aqui que iremos focar em ajustar os instrumentos no tempo, afinar as vozes, fazer cortes e etc. Falando de modo pessoal, eu nunca deixo uma música 100% editada, já que o ser humano não é 100%, porém, isso vai depender do estilo musical e, principalmente, seu gosto pessoal/cliente.

Depois de editar, é a hora de fazer a sua música soar ainda melhor, já que você gastou bastante tempo para encontrar os timbres para gravação. Em toda pós, a mixagem é o período mais importante, o famoso coração das etapas. Um bom trabalho nesta etapa resulta diretamente na qualidade da música. Aqui, iremos encaixar os elementos da música, filtrar, comprimir, equalizar, entre outras coisas neste processo. É importante ressaltar que esta etapa não se faz em 15 minutos. Grandes produtores levam horas e até dias para um resultado gratificante. Em meu estúdio (Dark Path Studio), desde seu início, nunca fiz uma mixagem em menos de 7 horas.

Por último, mas não menos importante, chegamos finalmente na masterização. Muitas pessoas acreditam que é nesta parte em que “erros” de mixagem são consertados. ERRADO! Masterização não é para consertar e sim para agregar. Erros de mixagem devem ser arrumados na mixagem. Qual é a principal função da masterização então? Nivelar a sua música para o mercado, dar aquela polida no diamante para que fique brilhante, lindo e mais bonito da vitrine. Se seu projeto é mais de uma música, a masterização que vai ajustar o volume padrão, fazendo com que todas as músicas soem de forma parecida, como se fosse uma única obra.

Bom, é isso. Espero que tenham gostado deste resumo, pois o universo da produção musical é gigantesco. Se você tiver sugestões de temas para serem escritos, deixe aqui nos comentários. Em breve, estarei voltando para falar sobre os 5 erros dos produtores musicais na pós produção.

Fala, família som binário. Tudo bem?! Primeiramente, eu gostaria de me apresentar. Eu sou o Leandro Carimbó, produtor musical, proprietário da Dark Path Studio, um estúdio voltado para o rock e metal independente, graduado na CEUNSP no curso de música e aluno do Jorge Araújo.

Hoje, gostaria de falar com vocês sobre as etapas de uma produção musical, seja ela de um single, EP ou CD. Apesar de ser um tema bem batido, ainda existem pessoas que confundem as etapas e, com isso, geram um resultado ruim ou se perdem no meio do projeto. Para falar sobre este assunto, irei usar uma analogia ao diamante.

A produção é composta por três etapas, sendo elas: a pré-produção, produção e pós. Se seguir a analogia do diamante, teremos a extração, construção e finalização.

A primeira etapa consiste na construção e junção do trabalho, ou seja, se você está produzindo um single nesta etapa, deve-se focar na composição, arranjos, o que está legal e o que não está para sua música. Na produção de um EP, além de cuidar das composições musicais, é preciso escolher quais músicas irão fazer parte do trabalho, qual música será a de trabalho e assim por diante, ou seja, garimpamos e fazemos a extração do diamante.

Finalizada a pré-produção, vamos para as reais gravações do seu projeto. O grande segredo desta etapa é passar o máximo de tempo possível para garantir o melhor resultado de captação, escolha dos timbres, microfones, posição, local e etc. Quanto maior o tempo mais as chances da sua música sair com uma qualidade superior. Voltando para nossa analogia, é neste momento em que iremos fazer o formato e deixar o mais parecido possível com a forma final do diamante.

Para falar sobre a última etapa e não falar de forma tão corrida, irei fazer uma postagem específica para a pós-produção (edição, mixagem e masterização). Deixem nos comentários temas que vocês gostariam que tivesse no blog como, por exemplo, composição, dicas de gravação e etc.